Barra Cofina

Correio da Manhã

Tv Media
2

Estudo da Intercampus: Veja o resultado da auditoria às sondagens das autárquicas

Conclusões revelam que não houve erro nas previsões pré-eleitorais das autárquicas.
Vanessa Fidalgo 22 de Outubro de 2021 às 01:30
António Salvador, diretor da Intercampus, e Carlos Rodrigues, diretor do CM e da CMTV
Diretor-adjunto (CM e CMTV), Armando Esteves Pereira
António Salvador, diretor da Intercampus, e Carlos Rodrigues, diretor do CM e da CMTV
Diretor-adjunto (CM e CMTV), Armando Esteves Pereira
António Salvador, diretor da Intercampus, e Carlos Rodrigues, diretor do CM e da CMTV
Diretor-adjunto (CM e CMTV), Armando Esteves Pereira
A Intercampus revelou esta quinta-feira as conclusões de uma auditoria às sondagens pré-eleitorais das últimas eleições autárquicas, e cujos resultados geraram um sentimento de desconfiança e foram alvo de críticas por parte de diversos políticos. Uma análise à qual a APODEMO - Associação Portuguesa de Empresas de Estudos de Mercado e Opinião se associou.


"As sondagens pré-eleitorais foram criticadas mas as sondagens de boca de urna acertaram na perfeição, como é habitual", afirmou Luís Valente Rosa, consultor que apresentou o estudo. "Há muitos mecanismos que podem provocar diferenças entre a opinião dos eleitores 15 dias antes da eleição e a sua decisão no dia da eleição. Muitas vezes, vamos a casa das pessoas e entrevistamos eleitores que ainda não refletiram, não decidiram. Muitas decisões em termos de comportamento eleitoral são tomadas no próprio dia", acrescentou.

Outra explicação possível é a chamada "abstenção por certeza da vitória", fenómeno que não é inédito em Portugal e "penaliza o partido que vai à frente", frisa Luís Valente Rosa. "Ou as pessoas estarem zangadas ou terem sofrido uma reação adversa em relação ao PS ou a Fernando Medina", acrescentou.

Carlos Mocho, presidente da APODEMO, lembrou ainda que a evolução de uma sondagem ocorre "ao longo do tempo e de forma natural, concretamente em situações em que a opinião das pessoas pode mudar de forma mais volátil".

Esta análise resulta de um desafio lançado à Intercampus (empresa de sondagens que colabora com o CM), pelo próprio Correio da Manhã, pela CMTV e pelo ‘Negócios’, ao qual se juntou a APODEMO, por considerarem fundamental fazer uma análise profunda à metodologia e aos resultados obtidos para reforçar a relação de confiança. "Felizmente, nas sondagens do CM e da CMTV não houve erro. Mas este balanço é muito positivo e importante para restabelecer a relação de confiança face às sondagens dos leitores do CM e dos telespetadores da CMTV. Esse é o nosso contrato diário, o que nos mantém ligados", afirmou, por seu turno, Armando Esteves Pereira, diretor-adjunto do CM e da CMTV.

A direção tomará nos próximos dias uma decisão sobre a continuação da publicação de sondagens.
Ver comentários