Barra Cofina
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já

Mais de 80% das trabalhadoras portuguesas estão expostas a riscos para a saúde e 7,8% têm doenças profissionais

Dados são de um estudo promovido pela Comissão para a Igualdade da CGTP.
Por Lusa 8 de Fevereiro de 2021 às 20:22
Desregulação da vida laboral dificulta vida pessoal e familiar das mulheres
Desregulação da vida laboral dificulta vida pessoal e familiar das mulheres FOTO: Getty Images
Mais de 80% das trabalhadoras estavam no segundo trimestre de 2020 expostas, no local de trabalho, a fatores que podem afetar a saúde física e 7,8% do total tinham algum problema de saúde causado pelo trabalho, divulgou a CGTP.

De acordo com um estudo promovido pela Comissão para a Igualdade da CGTP, a que a agência Lusa teve acesso, no período em análise, cerca de 1.881 mil mulheres trabalhadoras estavam expostas, no seu local de trabalho, a fatores que podem afetar a saúde física, correspondendo a mais de 80% do total das trabalhadoras, percentagem que cresceu quase nove pontos percentuais face a 2013.

Os movimentos repetitivos da mão e do braço foram o fator de risco físico mais frequentemente referido pelas mulheres (74% do total), seguindo-se a exposição a atividades que exigem concentração visual intensa (57%), a posições cansativas ou dolorosas (56%), ao ruído (cerca de 30%), ao manuseamento de cargas pesadas (28%), a escorregões, tropeções e quedas (27%), a exposição a produtos químicos, poeiras, vapores, fumos ou gases (26%).

Exclusivos

Assinatura Digital

Acesso sem limites em todos os dispositivos Assinatura válida na APP Correio da Manhã Newsletters exclusivas E-paper antecipado no Quiosque Ofertas e descontos do Clube CM+
Assine já! 1€ no 1º mês
Relacionadas
Notícias Recomendadas
Bem Estar e Nutrição

O verdadeiro peso da performance sexual numa relação

“Os homens focam-se na performance, sentem que têm de ser ótimos enquanto amantes e têm que dar prazer, e elas têm de ser sexy e sensuais” Marta Crawford, sexóloga, desmistifica as questões das “deusas” e “deuses” do amor.