Barra Cofina
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já

“Reequilibrar a estrutura emocional”: o que deve fazer para superar perturbações mentais

A pandemia aumentou o consumo de antidepressivos e ansiolíticos em Portugal.
Por Ana Maria Ribeiro 7 de Maio de 2020 às 08:26
Cecile Domingues, psicóloga
Cecile Domingues, psicóloga FOTO: Direitos Reservados
O confinamento e o medo do contágio da Covid-19 estão a causar perturbações mentais nos portugueses. Os especialistas dizem o que se deve – ou não – fazer.

CM – Foi divulgado um estudo que revela que os mais jovens assumem ter começado a tomar antidepressivos e ansiolíticos durante este período. É um dado alarmante?
Cecile Domingues– Sim. Não só porque aumentou o consumo de fármacos, mas porque revela que aumentaram, também, as perturbações emocionais. É uma reação à situação que estamos a viver. O medo em relação ao vírus despoleta preocupações que as pessoas tentam resolver, de forma rápida, recorrendo à medicação.

– É possível assumir que, após este período de vivência coletiva, quando voltarmos ao normal, as pessoas vão deixar de tomar a medicação?
- Não é linear. É muito provável que as pessoas que começaram a tomar a medicação agora já sentissem dificuldades antes. As pessoas não ficam em estado de ansiedade só por causa de uma pandemia. É muito provável que o contexto social tenha vindo intensificar uma perturbação que já existia.

Exclusivos

Assinatura Digital

Acesso sem limites em todos os dispositivos Assinatura válida na APP Correio da Manhã Newsletters exclusivas E-paper antecipado no Quiosque Ofertas e descontos do Clube CM+
Assine já! 1€ no 1º mês
Relacionadas
Notícias Recomendadas
Bem Estar e Nutrição

Água com gás: saudável ou nem por isso?

Melhora a digestão, pode ajudar a perder peso, e é mais interessante do que a água pura do ponto de vista nutricional, dizem alguns especialistas. Mas nem todos têm a mesma opinião.