Barra Cofina
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já

“Há mais casos de cancro porque se vive mais”

João Oliveira entrou no IPO de Lisboa há 28 anos, foi diretor clínico entre 2001 e 2005 e voltou à mesma função em 2012, até assumir a presidência. O especialista em oncologia médica garante que tem havido enormes progressos no tratamento da doença, mas que faltam recursos humanos
Por Sónia Bento 25 de Dezembro de 2019 às 10:00

Prolongar a sobrevivência e aumentar a taxa de cura tem sido possível em diversos tipos de cancro, como o de sangue, da mama, do pulmão, do tubo digestivo ou do intestino. "Aprendemos a lidar com esta doença com menos angústia", afirma João Oliveira, presidente do Instituto Português de Oncologia de Lisboa (IPO). João Oliveira, de 63 anos, diz que os recursos humanos continuam a ser a maior necessidade do IPO, que realiza por ano cerca de 7 mil cirurgias, 260 mil consultas, 86 mil tratamentos de radioterapia e 33 mil sessões de quimioterapia.

Estar vivo depois de um cancro é cada vez mais comum?
Sim. Há diversas doenças em que tem sido possível prolongar a sobrevivência e aumentar a taxa de cura, sobretudo nas hematológicas, nos cancros de sangue e do sistema linfático. Os progressos têm sido enormes não só nessas doenças, mas também nas mais frequentes, como os carcinomas do tubo digestivo, do intestino grosso ou do reto. Os de­senvolvimentos da cirurgia, associada à quimioterapia e à radioterapia, têm alterado muito quer a longevidade quer a forma de viver de pessoas que tiveram cancro.

Quando fala em doenças frequentes, refere-se também ao cancro da mama?
Refiro-me não só ao cancro da mama, mas sobretudo ao do intestino grosso e também ao do pulmão, que tem tido progressos com medicamentos que permitem controlar a doença durante mais tempo.

Exclusivos

Assinatura Digital

Acesso sem limites em todos os dispositivos Assinatura válida na APP Correio da Manhã Newsletters exclusivas E-paper antecipado no Quiosque Ofertas e descontos do Clube CM+
Assine já! 1€ no 1º mês
Notícias Recomendadas
Bem Estar e Nutrição

Água com gás: saudável ou nem por isso?

Melhora a digestão, pode ajudar a perder peso, e é mais interessante do que a água pura do ponto de vista nutricional, dizem alguns especialistas. Mas nem todos têm a mesma opinião.