Barra Cofina
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já

Número de pessoas afetadas por alergias alimentares aumentou 18%

Dados da associação Alimenta revelam que, só entre as crianças, a incidência de alergias cresceu cerca de 50%.
Por Francisca Genésio 7 de Janeiro de 2018 às 08:01
Número de pessoas com alergias alimentares aumentou 18%
Número de pessoas com alergias alimentares aumentou 18%
Número de pessoas com alergias alimentares aumentou 18%
Número de pessoas com alergias alimentares aumentou 18%
Número de pessoas com alergias alimentares aumentou 18%
Número de pessoas com alergias alimentares aumentou 18%
Número de pessoas com alergias alimentares aumentou 18%
Número de pessoas com alergias alimentares aumentou 18%
Número de pessoas com alergias alimentares aumentou 18%
O número de pessoas com alergias alimentares em Portugal aumentou cerca de 18% na última década. No caso das crianças, o aumento é de aproximadamente 50%, revelam os dados fornecidos ao CM pela Alimenta - Associação Portuguesa de Alergias e Intolerâncias Alimentares.

Atualmente, e "por comparação internacional, estima-se que cerca de 8% das crianças e 4% dos adultos sofram de alergias alimentares", explica Ana Lúcia Silva, nutricionista do Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa, em Lisboa, e vice-presidente da Alimenta.

Segundo a Organização Mundial de Saúde, as "alergias alimentares são reações adversas desencadeadas por alimentos, mais concretamente pelas proteínas alimentares, designadas de alergénios. Estão associadas a mecanismos de resposta imunológicos".

Exclusivos

Assinatura Digital

Acesso sem limites em todos os dispositivos Assinatura válida na APP Correio da Manhã Newsletters exclusivas E-paper antecipado no Quiosque Ofertas e descontos do Clube CM+
Assine já! 1€ no 1º mês
Notícias Recomendadas
Bem Estar e Nutrição

Água com gás: saudável ou nem por isso?

Melhora a digestão, pode ajudar a perder peso, e é mais interessante do que a água pura do ponto de vista nutricional, dizem alguns especialistas. Mas nem todos têm a mesma opinião.