Barra Cofina
Conteúdo exclusivo para Assinantes Se já é assinante faça LOGIN Assine Já

Exame de diagnóstico da osteoporose para doentes de risco

Teste que mede densidade óssea é não invasivo. Doença não tratada pode levar a níveis de incapacidade.
Por Cláudia Machado 26 de Março de 2017 às 09:39
Há três tipos de osteoporose, sendo que a mais comum é a que afeta mulheres após a entrada na menopausa
Caminhadas são um exercício físico recomendado pelos médicos aos doentes de osteoporose
Manutenção de  uma postura correta é outra forma de prevenção da doença e ajuda a impedir algumas das suas consequências
Leite e os seus derivados são elementos essenciais na rotina alimentar dos doentes com osteoporose ou que pertençam a grupos de risco da doença
Há três tipos de osteoporose, sendo que a mais comum é a que afeta mulheres após a entrada na menopausa
Caminhadas são um exercício físico recomendado pelos médicos aos doentes de osteoporose
Manutenção de  uma postura correta é outra forma de prevenção da doença e ajuda a impedir algumas das suas consequências
Leite e os seus derivados são elementos essenciais na rotina alimentar dos doentes com osteoporose ou que pertençam a grupos de risco da doença
Há três tipos de osteoporose, sendo que a mais comum é a que afeta mulheres após a entrada na menopausa
Caminhadas são um exercício físico recomendado pelos médicos aos doentes de osteoporose
Manutenção de  uma postura correta é outra forma de prevenção da doença e ajuda a impedir algumas das suas consequências
Leite e os seus derivados são elementos essenciais na rotina alimentar dos doentes com osteoporose ou que pertençam a grupos de risco da doença
A osteoporose é uma doença do metabolismo dos ossos, que os deixa enfraquecidos e como que rendilhados. O doente está mais sujeito a fraturas e, se não for tratado, pode desenvolver complicações graves e incapacidade. Em última instância, num cenário como o de uma fratura da coluna vertebral, a doença pode levar à morte. Mas há ainda uma ideia construída da osteoporose que não corresponde à realidade: não é apenas uma consequência do envelhecimento.

"Há três tipos de osteoporose. Uma forma mais comum, em mulheres após a entrada na menopausa, sobretudo se foi precoce. Outra mais frequente em pessoas com mais de 70 anos, relacionada com o envelhecimento e questões nutricionais. E uma terceira, motivada por outras doenças ou o uso crónico de certos medicamentos", explica Vítor Moura Gonçalves, médico neurocirurgião do Hospital dos Lusíadas, em Lisboa.

Certo é que há como diagnosticar a doença através "de um exame não invasivo". "As pessoas que se incluem nos grupos de risco - mulheres após a menopausa, pessoas com idade avançada, baixo peso e história de osteoporose na família - devem fazer o exame", acrescenta o especialista. "A densitometria óssea mede a massa óssea, isto é calcula a quantidade de osso que o corpo possui", clarifica Vítor Moura Gonçalves.

Exclusivos

Assinatura Digital

Acesso sem limites em todos os dispositivos Assinatura válida na APP Correio da Manhã Newsletters exclusivas E-paper antecipado no Quiosque Ofertas e descontos do Clube CM+
Assine já! 1€ no 1º mês
Notícias Recomendadas
Bem Estar e Nutrição

Mitos e verdades sobre a celulite

Numa era em que o ‘body shaming’ convive com o movimento ‘body positive’, a celulite continua a ser fonte de insegurança. Uma nutricionista explica o que fazer.